segunda-feira, março 07, 2005

Eleições em jeito de carta...

Meus caros amigos e associados da ACICA,

Permitam-me que em jeito de carta lhes escreva algumas palavras sobre as próximas eleições da ACICA para 21 de Março próximo, altura em que completo 10 anos de dirigente desta nossa associação, oito dos quais como Presidente da Direcção e dois como Presidente da Assembleia-geral.

Quero-vos dizer, antes de mais, que me orgulho imenso pelo facto dos sócios que regularmente me elegeram, tenham-me proporcionado ajudar a reconstruir uma associação empresarial que estava moribunda em Março de 1995.
Pois foi nessa altura que, por insistência do meu particular amigo João Mário Oliveira, então presidente da Assembleia-geral, conseguimos, nós os dois, contactar um grupo de jovens empresários, acompanhados pelo nosso saudoso amigo Fernando Marques Ferreira, de Abrigada, e então formou-se uma lista de dirigentes para a ACICA.
Curioso lembrar duas coisas; uma delas que o dinheiro que se realizava através da cobrança de quotas era tão escasso que não chegava sequer para pagar o ordenado da funcionária. Éramos nós, os 7 membros da direcção, que pagávamos os selos das cartas e outro material administrativo, se é que queríamos chegar aos associados. A outra era a necessidade de afirmação do nome ACICA em detrimento do Grémio do Comércio.
Passados 21 anos do 25 de Abril, esta instituição empresarial ainda era tratada e conhecida como se ainda existisse o Grémio do Comércio, que como todos sabeis, foram extintos após aquela data. Inclusivamente na próprio lista telefónica ainda constava o nome de Grémio, razão pela qual haviam associados que queriam contactar a já Associação Comercial e Industrial do Concelho de Alenquer e não lhe encontravam o número de telefone.

Bom, isto pertence ao passado e agora temos de enfrentar o futuro com a coragem e a força que se impõe para “combater” as dificuldades económicas, sociais, fiscais, e da sociedade do conhecimento, que hoje já estão no terreno e que os micro, pequenos e médios empresários do Concelho de Alenquer terão que ultrapassar, se é que querem sair vencedores desta luta tão desigual.

Por várias vezes tenho referido que o associativismo empresarial é a única “trincheira” de defesa dos pequeninos enquanto exercerem actividade económica na área do comércio, industria ou serviços. Tenho mesmo aplicado a expressão do “Grande Lóbi” dos pequenos empresários.
Com esta ideia sempre presente, tenho pautado a minha postura de dirigente associativo, que com a inestimável colaboração e coesão directiva, temos conseguido elevar e prestigiar o nome da ACICA.

Para que este trabalho continue, será necessário um novo elenco directivo; jovem, dinâmico, descentralizado e conhecedor das novas técnicas e estratégias empresariais, que serão necessárias, não só para que a ACICA mantenha o espaço conquistado, mas também melhore a sua função de prestadora de serviços de apoio, esclarecimento, dinamização empresarial e orientação estratégica que o pequeno empresariado do nosso concelho bem necessita e necessitará cada vez mais.

Aqui está, meus caros amigos e associados da ACICA, uma das grandes razões, ao fim de 10 anos consecutivos como líder associativo, da minha saída dos corpos sociais da nossa querida associação.
É minha convicção, que as futuras necessidades de evolução da ACICA, já não passam por mim, e nesse sentido já não me candidatarei às próximas eleições de Março.
Que me perdoem aqueles que sempre me têm apoiado, quer na qualidade de colegas dirigentes, associados e funcionários, mas já o meu pai me ensinou que devemos saber até onde somos válidos e que a partir daí devemos dar o lugar a outros, para que não ponhamos em risco o futuro e o desenvolvimento sustentado das instituições às quais estamos directamente ligados.

Deixo aqui um grande apelo à participação nas Eleições de 21 de Março, como prova da vitalidade que existe na nossa Associação Comercial e Industrial do Concelho de Alenquer.


Vladimiro Matos