segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Editorial do Boletim da ACICA

ELEIÇÕES

Promessas ao vento

“Déjà vue”. Entram em cena os santos milagreiros. Prometem-nos o céu: o fim da crise económica, do desemprego, da miséria e das listas de espera na Justiça e nos Hospitais; a baixa dos impostos e o aumento dos salários; retracção de despesas e construção de estradas pontes e TGV; enfim, um surto de progresso extraordinário, que nos vai proporcionar uma imensa riqueza e alcandorar à cabeça do pelotão europeu.
Queremos seriedade. A dura realidade faz-nos imunes ao doce canto das sereias. Sabemos que os próximos tempos não serão menos duros do que os actuais. Queremos perceber para que servem os nossos sacrifícios. E não aceitamos que eles aflijam, apenas, os mais desfavorecidos. Enquanto que a Banca e as Grandes Multinacionais continuam a apresentar chorudos lucros. A beneficiar de apoios estatais, isenções fiscais e impunidade das manigâncias. A coberto das “off shores”. Repimpando-se nos “paraísos fiscais”.
Como Pequenos e Médios Empresários, também somos protagonistas. Exigimos que o valor do nosso papel económico seja reconhecido. Que a viabilidade das PME’s seja um contributo para a resolução dos problemas locais e nacionais. Em que caiba acreditar num projecto viável, com objectivos que nos favoreçam e mobilizem.
Digamos não às promessas eleiçoeiras, dos vendedores de ilusões. Recusemos esta alternância sem alternativa. Para que se cumpra o dito popular - não há mal que sempre dure…

Projectos firmados

Também a ACICA passa pela renovação. Com a entrada de uma nova equipa directiva, dar-se-á início a um novo ciclo.
É o momento de reflectirmos sobre a nossa actuação. De efectuar o balanço do que foi conseguido e do que ficou por fazer. Definir novos objectivos e os recursos para os atingir. Traçando um rumo seguro. Sabendo onde queremos chegar.
Alargar o leque dos Serviços de Secretaria, dos Apoios Técnicos, dos benefícios dos Protocolos e da Formação Profissional, divulgando-os e facilitando o seu usufruto pelos associados, deverá ser preocupação dominante.
Aprofundar o conhecimento das realidades locais, identificando os maiores problemas e propondo-lhes soluções, em colaboração com os órgãos autárquicos, será outra vertente de importância vital.
Tudo isto, a exigir uma grande ligação da Direcção com os Núcleos de Freguesia, como base fundamental de toda a vida associativa.
Saudamos a chegada dos novos dirigentes. Deles esperamos um excelente trabalho e o maior sucesso.
A bem da ACICA.